Assinatura do Acordo para o Projeto de Recuperação das Muralhas

52

O Ministro da Cultura, João Soares, esteve na tarde de hoje em Campo Maior, onde presidiu à cerimónia de assinatura do Acordo de Colaboração para a Requalificação dos Edifícios Situados no Interior do Castelo de Campo Maior e da Fortificação Abaluartada de Campo Maior e Respetiva Envolvente.

O acordo agora assinado entre o Município e a Direção Regional de Cultura do Alentejo (DRCALEN), enquanto entidade afectatária do Castelo de Campo Maior e enquanto organismos responsáveis pela gestão do património do Estado, pretende salvaguardar as fortificações abaluartadas de Campo Maior, realizando as necessárias obras de conservação e consolidação, de forma a valorizar este conjunto patrimonial e a devolvê-lo à fruição pública.

O projeto, desenvolvido pelos técnicos do Município com o apoio da DRCALEN, tem um orçamento previsto de 4,2 milhões de euros, e será alvo de candidatura a fundos europeus que assegurarão 85% do investimento, ficando os restantes 15% a cargo da Câmara Municipal de Campo Maior.

A sessão foi aberta pelo Presidente da Assembleia Municipal, Pedro Murcela, que deu as boas vindas a todos os presentes, mostrando a sua satisfação por este dia histórico para Campo Maior, sublinhando que “este projeto vai ser a maior obra desenvolvida no concelho das últimas décadas”.

Durante a cerimónia o Presidente Ricardo Pinheiro realçou que “o acordo que estamos prestes a concretizar, vai permitir a devolução ao Povo de Campo Maior de um Património Histórico de extrema importância, que foi, durante décadas, impedido de usufruir”.

O autarca disse ainda que “com este passo, não só valorizamos e conservamos a nossa memória histórica e dos nossos antepassados; avançamos em direção ao futuro de Campo Maior, abrindo as portas do desenvolvimento turístico e de todas as suas implicações ao nível da economia local”.

O Ministro da Cultura, João Soares, aproveitou a ocasião para afirmar que este é um momento histórico para Campo Maior, felicitando o Município, na pessoa do seu Presidente, por finalmente ser possível concretizar este projeto.

Já a Diretora da DRCALEN, Ana Paula Amendoeira, recordou o longo caminho percorrido com o Município até chegar a este dia, destacando as dificuldades que um projeto desta envergadura implica e afirmando que “o impossível é aquilo que ainda não aconteceu”.

No final da cerimónia, o Ministro da Cultura fez questão de visitar a zona do Mártir Santo, para verificar no terreno o andamento dos trabalhos de demolição, fazendo ainda uma breve passagem pelo Bairro de S. Sebastião.

COMPARTILHAR