Capela dos Ossos

244
Capela dos Ossos
Inscrição presente na Capela dos Ossos de Campo Maior.

Arquitectura religiosa, barroca. Capela de ossos, dedicada às Almas do Purgatório, de nave única com entrada travessa, cobertura em abóbada de nervuras disposta em dois tramos e iluminada por janelão frente ao altar-mor. Teatralização da morte característica do período pós-tridentino, afirmando o dogma da existência do Purgatório. Filia-se no tipo da capela dos Ossos de São Francisco de Évora (v. PT040705210017) com explorando as potencialidades decorativas e espaciais das ossadas.

Localização

Planta longitudinal simples. Fachada principal a S., de dois registos definidos por moldura envolvente e pano único delimitado por pilastras de alvenaria muito pouco salientes com mísulas relevadas de estuques marcando os diferentes registos; inferiormente rasgam-se duas portas, à esquerda, de vergas rectas e molduras de alvenaria e, à direita, uma janela, gradeada, de verga curva sobrepujada por frontão de estuques desehando ornatos vegetalistas e no vértice uma flor de liz; entre a verga e o frontão a inscrição pintada ” CAPELA DOS OSSOS – 1766 “; superiormente rasgam-se ao nivel da cornija de remate três janelas de vergas curvas e intradorso moldurado, a central mais estreita, com molduras de alvenaria, parapeitos salientes e frontões contracurvados com tímpanos decorados no centro de elmentos vegetalistas em estuque; entre a a moldura que define os dois registos da fachada e os parapeitos das janelas desehan-se em estuque três cartelas quadragulares relevadas. Fachafa lateral E. com disposição idêntica de registos e panos, tendo no registo inferior três janelas, duas delas ( as da esquerda ) entaipadas e a terceira semi-entaipada; possuem molduras de alvenaria e vergas curvas ( excepto a terceira de verga recta ) com marcação da chave em ornato de estuque; a janela central tem frontão de estuque de ornatos vegetalistas; no registo superior rasgam-se 5 janelas idênticas às da fachada principal, as dos extremos entaipadas. Fachada O. e N. adossadas. INTERIOR: o acesso é feita por porta travessa a O..Nave única com cobertura em abóbada de aresta de nervuras, de dois tramos, de perfil abatido; arco toral descarregando sobre pilastras pavimento cerâmico firmando padrão geométrico polícromo, verde, amarelo, vermelho e vermelho sangue de boi. Alçados, cobertura e elementos estruturais totalmente revestidos a ossadas e crânios; embasamento envolvente saliente revestido por crânios. Alçados laterais de dois panos definidos pela pilastra do arco toral; do lado do Evangelho no 1º tramo retábulo desenhado pela disposição horizontal das ossadas intervaladas de crânios que formam o arco da verga do nicho no qual se insere um esqueleto; no 2º tramo a porta de acesso com ombreiras totalmente revestidas de ossadas e 4 degraus; do lado da Epístola dois retábulos semelhantes. Altar-mor com frontal revestido de caveiras expondo-se num nicho envidraçado um crucifixo; na parede oposta rasga-se janelão axial com ombreiras e verga em capialço revestidas de ossadas e desenhando inscrições.

Urbano, meia-encosta. Em pleno centro histórico, abre para o largo calcetado da Igreja Matriz ( v. 1204010005 ) que lhe fica O., fronteira à sua fachada lateral esquerda; constitui o piso térreo de edifício paroquial adossado à Matriz, de planta rectangular e dois pisos, com fachadas caiadas e relevadas de estuques, ao nível das vergas e parapeito das janelas de vergas contrscurvadas sobrepujadas de frontões recortados; o edifício apresenta cobertura homogénea em telhado de 2 águas que marcas a empena dos alçados menores. A E. ficam a Praça da República ( v. 1204010028 ), o Pelourinho ( v. 1204010001 ) e os Paços Municipais ( v. 1204010020 ).

IPA: Monumento

N.º IPA: 1204010014

Designação: Capela dos Ossos / Capela das Almas

Localização: Portalegre, Campo Maior, Nossa Senhora da Expectação

Acesso: Lg. Dr. Regala

Protecção: Incluído na Zona de Protecção da Igreja Matriz ( v. 1204010005 )

1732, 16 Setembro: Explosão do paiol do Castelo ( v. 1204030002 ) ficando este e a Vila severamente danificados;

1766: Construção da Capela com ossadas de cerca de 800 das vítimas da explosão;

Séc. 20: Colocação de pavimento.

Tipologia
Arquitectura religiosa, barroca. Capela de ossos, dedicada às Almas do Purgatório, de nave única com entrada travessa, cobertura em abóbada de nervuras disposta em dois tramos e iluminada por janelão frente ao altar-mor. Teatralização da morte característica do período pós-tridentino, afirmando o dogma da existência do Purgatório. Filia-se no tipo da capela dos Ossos de São Francisco de Évora ( 0705210017 ) com explorando as potencialidades decorativas e espaciais das ossadas.

Características Particulares
É a segunda maior capela de ossos portuguesa, a seguir a da Igreja de São Francisco de Évora ( 0705210017 ). Memória do acontecimento trágico que vitimou c. de 2/3 da população da vila e que ainda hoje, ao contrário da maioria das suas congéneres, move fiéis.

Dados Técnicos
Paredes autoportantes

Materiais
Alvenaria rebocada e caiada, ossos, tijoleira.

VELOSO, Carlos, As Capelas de Ossos em Portugal. “Speculum mortis” no espectáculo do Barroco, Coimbra, Minerva, 1993;

MATOS, Jorge Manuel Marques de, Igrejas e Capelas de Campo Maior, Campo Maior, Paróquia de Campo Maior, 1995.

Utilização Inicial
Cultual: Capela de Ossos

Utilização Actual
Cultual: Capela de Ossos

Propriedade
Privada: Igreja Católica

Época de Construção
Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor
Desconhecido

Intervenção Realizada
Paróquia de Campo Maior: Séc. 20 – colocação de pavimento.

Autor e Data
Helena Mantas e Marta Gama 2002 / Rosário Gordalina 2004

Fonte: Direcção Geral de Edifícios e Monumentos Nacionais

Aberto todos os dias

Telefone: 268 686 168
e-mail: paroquia_cmaior@hotmail.com

Instituição Responsável
Diocese de Évora
E-mail: diocese@diocese-evora.pt

Paróquia de Campo Maior
L. Dr. Regala, n.º 6
7370-047 CAMPO MAIOR