Igreja de São João Baptista

117

Descrição

Planta rectangular, composta por exonártex, torres sineiras, nave única de planta octogonal com tribuna, sacristia, capela baptismal, sala de arrumos . Volumes articulados, massas dispostas na vertical com cobertura diferenciada em telhados de duas águas e terraço de circulação em redor na zona da nave. Fachada principal a E. revestida a aparelho regular de mármore, de 3 panos definidos por pilastras e cornija de mármore; pano central com pórtico flanqueado por pilastras que sustentam entablamento com friso decorado por triglifos; ao centro entre 2 fogaréus, nicho com imagem de mármore do padroeiro, ladeado por pilastras sustentando entablamento com dupla de fogaréus nos extremos, motivos vegetalistas ao centro e cruz no remate; de cada lado rasga-se janela com moldura de mármore e cornija sobre verga decorada com a cruz de Malta, fechada por grade de ferro; remate em entablamento e platibanda recortada de mármore preto e branco; panos laterais correspondentes às torres sineiras, simétricos entre si, delimitados por pilastras com base marcando o embasamento; de 2 registos, o inferior com 3 postigos sobrepostos, gradeados e com molduras de mármore; entre o postigo central e o inferior corre pequena cornija; registo superior correspondendo às sineiras, em arco de volta perfeita, delimitadas por pilastras angulares rematados de fogaréus, com cúpula bolbosa com óculo e catavento de ferro forjado. Fachada lateral N. com embasamento e pilastra ambos de mármore, rasgado à esquerda por porta travessa em mármore, munida de entablamento e frontão curvo; à direita porta em arco quebrado, também de mármore; do seu lado direito, em cima, rasga-se postigo com moldura de mármore; superiormente rasgam-se, a diferentes alturas, 5 janelas de molduras de mármore, gradeadas, de idêntico formato mas desiguais dimensões; remate em cornija e platibanda com aberturas em quadrifolio. Fachada S. semelhante à N., tendo o corpo da torre sineira rasgado por dois postigos gradeados, um inferiormente, outro sob o entablamento de remate; à esquerda da porta travessa adossa-se o corpo da Capela de Nossa Senhora do Carmo. INTERIOR: coro-alto assente sobre arco abatido de mármore descarregando sobre pilastras, munido de guarda com balaustrada de mármore, 2 janelas de iluminação, porta de acesso às escadas que conduzem ao sub-coro do lado da Epístola e porta para a tribuna do lado do Evangelho; pavimento de tijoleira; cobertura em abóbada de aresta no tramo central e de berço no corpo das torres. Sub-coro de planta rectangular co paredes revestidas de mármore branco, embasamento de mármore preto e friso idêntico marcando o arranque da cobertura; guarda-vento de madeira com portas decoradas por almofadões com motivos geométricos e florões; do lado da Epístola porta de acesso ao coro através de escada em caracol, com moldura de mármore sobrepujada por empena recortada com cornija de mármore preto; do lado do Evangelho porta idêntica abrindo para a Capela Baptismal; cobertura idêntica à do coro-alto e pavimento em mármore preto e branco. Nave com cobertura em abóbada de 8 panos, alçados revestidos de mármore preto e branco, de 5 panos definidos por duplas pilastras estriadas com bases de mármore, a marcar o embasamento, e capitéis compósitos sobrepostos de mísula; friso envolvente de mármore preto e remate em cornija saliente moldurada, de mármore, acolhendo iluminação artificial. Do lado da Epístola, porta para o exterior e porta de confessionário sobreposta, com moldura e cornija sobre a verga sobrepujada de motivos vegetalistas e almofada de mámore preto com florão central em mármore branco; no pano central confessionário com porta de madeira recortada sobrepujado por púlpito com baldaquino de mármore; aos lados dois altares laterais, idênticos, em arco de volta perfeita acolhendo mesa e retábulo de altar, com tela central com moldura de mármore preto flanqueada por dupla de pilastras,decoradas de volutas e cabeças femininas, sustentando entablamento com frontão contracurvado decorado por motivos vegetalistas e querubim no fecho; junto à capela-mor porta para a Sacristia e escadas de acesso ao púlpito, com moldura e cornija sobre a verga sobrepujada de motivos vegetalistas e almofada de mármore preto com florão central em mármore branco. Do lado do Evangelho, tratamento semelhante mas com o retábulo junto à capela-mor incluído numa capela de planta rectangular, coberta por abóbada de volta perfeita e fechada por grade de ferro; no alçado direito falsa porta e no esquerdo porta para as escadas de acesso ao púlpito; pavimento de lages de mármore preto e branco. Superiormente rasgam-se os vãos da tribuna, alternando vergas contracurvada e cornijas idênticas fechados por balaustrada de mármore recortado, com parapeito de mármore preto, com vergas de arco abatido enquadrada por 3 cartelas de mármore preto. Arco triunfal de volta perfeita em mármore branco com pedra de fecho em mármore preto sobrepujada por medalhão com quinas, enquadrado por volutas e rematado por coroa; assenta sobre pilastras lisas marmóreas, decoradas a amarelo. A partir do coro-alto acede-se aos corredores da tribuna no extremo dos quais se encontram duas salas: do lado do Evangelho sala de planta rectangular com cobertura plana de alvenaraia e pavimento de madeira; no seu alçado E. porta de comunicação com a tribuna; no alçado S. janela, no N. uma portada e no O. porta de acesso ao trono do retábulo-mor; do lado da Epístola sala de planta rectangular com cobertura abobadada e pavimento de tijoleira; no alçado S. porta de acesso à parte detrás do retábulo-mor e portada para o mesmo; no alçado N. janela e no E. porta para a tribuna. Capela-mor rectangular coberta por abóbada decorada por cartelas com florões de gesso; alçados revestidos a mármore preto e branco, organizado em 2 registos definidos por cornija de mármore preto; de cada lado uma porta entaipada e um nicho, ambos com desenho de moldura intercalados por pilastras desenhadas; superiormente varandim com balaustrada de marmore recortado ao centro e almodafa de mármore preto com florão central em mármore branco de cada lado; remate em cornija de mármore preto; pavimento de mármore branco; cadeiral de madeira, de doze assentos; retábulo-mor de mármore preto e branco, deplanta concâva e estrutura vertical tripartida, com camarim central ocupado por trono sobre o banco, ladeado por duas colunas sustentando cornija contracurvada de mármore preto; remate em frontão triangular. Capela Baptismal de planta rectangular com cobertura em abóbada, pavimento e pia baptismal de mármore; no alçado N. porta para o sub-coro; no alçado S. postigo. SACRISTIA de planta rectangular com cobertura em abóbada de berço e pavimento de mármore preto e branco; no alçado E. porta para a nave; no alçado N. porta para o exterior, janela gradeada e lavabo de mármore decorado por dois golfinhos entrelaçados nos quais se inserem as torneiras, duas volutas e entrelaçados vegetalistas; no alçado S. porta para as escadas de acesso à tribuna.

Localização

Urbano. Fachada principal aberta para adro lageado com acesso por escadaria de mármore, fechada com grade de ferro, de 8 degraus vencendo o desnível entre o interior e a rua de circulação automóvel; fachada lateral adossada à Capela de Nossa Senhora do Carmo ( v. 1204030029 ); fachada posterior voltada para quintal interno.

IPA
Monumento

NºIPA
1204030012

Designação
Igreja de São João Baptista

Localização
Portalegre, Campo Maior, São João Baptista

Acesso
R. de São João

1520 – início da construção do templo primitivo, em agradecimento ao patrono de Campo Maior, São João Baptista;

1732 – destruição da primitiva igreja na sequência da explosão do paiol do Castelo ( v. 1204030002 ) segundo Marques Matos (1995);

1734, 18 de Outubro – riscam-se os alicerces para a nova igreja (AZEVEDO, 1993);

1734, 27 de Outubro – colocação da primeira pedra, sendo mestre da obra Sebastião Soares;

1741, 21 de Abril – morre o Governador de Campo Maior, Estevão da Gama de Moura e Azevedo, fidalgo da Casa Real e Comendador de São Miguel de Vilas Boas, sendo sepultado no jazigo de família, no pavimento da capela-mor;

1747 – conclusão da igreja;

1801 – edificação da Capela de Nossa Senhora do Carmo adossada à fachada esquerda ( v. 1204030029 );

1929, 01 de Janeiro – conclusão obras realizadas no altar lateral do lado da Epístola, junto ao arco triunfal, custeadas por João de Portugal e Ernesto de Vasconcelos;

1967, 28 de Fevereiro – em ofício, a DGEMN refere não estar habilitada a intervir no imóvel visto o mesmo não se encontrar classificado, sugerindo pedido de auxílio ao engenheiro da Câmara Municipal de Elvas.

Tipologia
Arquitectura religiosa barroca. Igreja paroquial de planta rectangular com nave octogonal antecedida por exonartex entre torres sineiras e capela-mor rectangular. Fachada harmónica, revestida a cantaria de mármore, com portal axial recto sobrepujado de nicho ladeado de dois janelões gradeados; torres sineiras delimitadas por pilastras salientes, com coberturas bolbosas elevando-se acima do pano central rematado por platibanda rendilhada. À austeridade exterior, acentuada pela geometrização dos alçados, contrapõe-se a dinâmica do espaço interior, conferido pelo octógono da nave, pelo jogo cromático do mámore branco e preto, que reveste inteiramente os alçados, sublinhando as estruturas arquitectónicas, cuja rigidez é quebrada pela alternância no rasgamento de vãos e pormenores decorativos, numa gramática característicamente barroca e que estruturalmente revela semelhanças com alguns templos de Portalegre como a Igreja do Bonfim ( v. 1214080012 ), a Capela de Santana ( v. 1214 0033 ) e a Igreja do Senhor dos Aflitos ( v. 1214 0063 ).

Características Particulares
A qualidade e coerência da concepção arquitectónica e programa decorativo; interior totalmente revestido a mármore preto e branco.

Materiais
Alvenaria rebocada e caiada ( fachadas exteriores laterais, coberturas interiores ). Mármore no revestimento dos alçados interiores e exteriores ( fachada principal ), pavimentos, molduras de vãos e retábulos. Tijoleira em pavimentos. Telha.

Estrutura mista

KEIL , Luís, Inventário Artístico de Portugal – Distrito de Portalegre, Vol.1, Lisboa, Academia Nacional de Belas-Artes, 1943;

AZEVEDO, Estevão da Gama de Moura e, Noticia da antiguidade, aumento e estado da presente vila de Campo Maior ( org. Rui Rosado Vieira ), Campo Maior, Câmara Municipal, 1993;

MATOS, Jorge Manuel Marques de, Igrejas e Capelas de Campo Maior, Campo Maior, Edição das Paróquias de Campo Maior, 1995,

MUNÕZ, Joana, Campo Maior: memória das minhas raízes, ed. da autora, 1998.

DGEMN:

1967 – eventuais obras de recuperação

Utilização Inicial
Cultual: Igreja

Utilização Atual
Cultual: Igreja Paroquial

Propriedade
Privada: Igreja Católica

Afectação
Sem afectação

Época de Construção
Séc. 18 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor
Mestre de obras Sebastião Soares; Manuel de Azevedo Fortes.

Horário

Aberto todos os dias

Telefone: 268 686 168
e-mail: paroquia_cmaior@hotmail.com

Instituição Responsável
Diocese de Évora
E-mail: diocese@diocese-evora.pt

Paróquia de Campo Maior
L. Dr. Regala, n.º 6
7370-047 CAMPO MAIOR